Sugestões da Editorial Divergência para o Dia da Mãe

Para te ajudar a escolheres um miminho para a mãe este ano, a equipa da Editorial Divergência reuniu três sugestões para o Dia da Mãe: duas obras de duas autoras poderosas e uma terceira obra com uma corajosa protagonista.

A primeira sugestão é a mais recente obra publicada pela Editorial Divergência, A Idade Média Narrada por um Vampiro, de Márcia Medeiros. Podes encontrar a obra aqui.

Sinopse:

Boa noite, caros senhores. Boa noite, caras senhoras. Permitam-me que me apresente. Chamo-me Demétrius e sou tão velho quanto me lembro de ser. Apenas Demétrius. Esqueci-me do resto do meu nome, nas areias de um tempo muito antigo. Eu vi o Império Romano arrastar-se na sua queda. Assisti à sua destruição. Observei o grande imperador, Carlos Magno, tornar-se num senhor coroado por um manto de estrelas. Querem saber mais sobre mim? Ouçam a minha história! Eu irei contar-vos a verdadeira história da Idade Média… Coisas que só um vampiro poderia saber.

A segunda sugestão é a vencedora do Prémio Editorial Divergência em 2016, Rita Garcia Fernandes, com a obra Quem Chama Pelo Senhor Aventura?. Podes encontrar a obra aqui.

Sinopse:

Quem chama pelo Senhor Aventura? descreve a última missão de Óscar, um velho super-herói aposentado com um poder muito especial: o de salvar sonhos. Tudo começa quando as suas antigas ferramentas de trabalho voltam a guiá-lo até um novo desafio. Liz é uma jovem que vive conformada com um trabalho de escritório que não a realiza. O seu aborrecido quotidiano vai alterar-se no momento em que a sua vida e a do velho Óscar – ou senhor Aventura, como todos o conhecem – se cruzam. Esta história lembrará a jovens e adultos a importância de lutar pelos seus sonhos e de nunca virar costas a um desafio, que pode muito bem tornar-se na aventura das suas vidas.

“Um livro emocionante, que por um lado, nos faz reflectir sobre a monotonia da vida; imposições da maturidade em detrimento das vontades individuais. Porém, que nos inunda de esperança, de encontrar aventuras, e realizar sonhos há muito esquecidos.”

Irina Sopas

Autora de “Odeio amar-te, poesia”

“Uma história que cruza magia, aventura e uma amizade improvável; e que reforça que se pode escrever realismo mágico em português com excelente qualidade literária, algo a que a Editorial Divergência já nos tem habituado.”

Roberta Frontini

http://flamesmr.blogspot.com/

E, por fim, a nossa terceira sugestão é a obra Lovesenda ou o Enigma das Oito Portas de Cristal, de António de Macedo, um dos maiores cineastas e autores de fantasia portugueses.

Sinopse:

Altos Príncipes, Senhores de mim, sacerdotisas minhas irmãs — impacientais-vos? Quereis ouvir sem delongas a história abominável da arrebatada paixão da donzela Lovesenda, filha do conde Diogo Enheguiz, por um espectro? A história que está na raiz da sacrílega situação em que me despenhei? Aguardai porém um momento, suplico-vos: toda a alma tem paragens desconhecidas que somos obrigados a percorrer, por mais obscuras, e a alma da donzela Lovesenda e as inconfessáveis impaciências que nela desde cedo se alojaram exibem feias chagas que lhe foram abertas por uma fieira de medonhas investidas do outro mundo, tão feias como as dos secretos e despudorados procederes do conde Diogo, seu pai, e da condessa Châmoa Telles, sua mãe — cada um com sua traição para com o outro, e qual delas a pior.

Lovesenda é um marco na literatura fantástica portuguesa.

– Cristina Alves

Uma história medieval em que o místico é contado de forma tão convincente que mais parece um relato histórico.

– Rui Bastos

Erudito, divertido e fascinante, eis António de Macedo no seu melhor.

– Luís Filipe Silva

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.