Reabertura do concurso para a antologia de Solarpunk «Um Passo ao Amanhecer»

A Editorial Divergência tem o prazer de anunciar a reabertura do concurso para a antologia de Solarpunk «Um Passo ao Amanhecer». Se não conseguiste submeter o teu manuscrito a tempo, esta é a tua oportunidade.

Fortemente inspirado no Steampunk, o subgénero Solarpunk explora os temas de sociedades dominadas pelas energias renováveis (entre elas, a solar), fruto da esperança de um futuro melhor para a humanidade, onde a tecnologia é usada a favor dos humanos e das suas necessidades ambientais.

Ao invés da distopia, surge a utopia. O crescimento das comunidades locais, a harmonia entre as pessoas e a habitabilidade sustentável permite que este género literário aborde um futuro cheio de esperança, longe dos inimigos do progresso, tais como governos corruptos e grandes empresas capitalistas.

As histórias Solarpunk procuram incluir, tipicamente, a estética e a cultura africana e asiática, afastando-se da imagem ocidentalizada ao qual o nosso mundo se vai adaptando cada vez mais. Sob uma luz optimista, os principais temas deste subgénero centram-se na justiça social, anti-colonialismo, ecologia social, progresso social e tecnológico e pós-humanismo, entre outros.Preparado para assombrar as urbes portuguesas? Só tens de ser corajoso.

Envia o teu conto para submissoes@divergencia.pt, até 31 de Dezembro de 2020, com o assunto «Antologia Solarpunk».

Regulamento:

  1. Apenas podem concorrer textos inéditos, em língua portuguesa, respeitando o Acordo Ortográfico de 1945 e submetidos pele concorrente. Por inédito entendem-se textos que não tenham sido anteriormente publicados de forma profissional por terceiros, como um todo ou em parte, em formato físico ou electrónico. Textos anteriormente publicados em formato amador ou de auto-publicação podem ser aceites mediante análise individual.
  2. Pode concorrer quem residir em Portugal, Açores, Madeira e Galiza, independentemente da nacionalidade.
  3. Admite-se a candidatura de concorrentes que colaborem ou colaboraram com a Editorial Divergência as suas chancelas, nos diferentes papéis editoriais que se lhe associam, desde que se garanta o total anonimato, conforme os termos dos números 11 e 15, e não estejam envolvidas em qualquer fase do processo editorial da antologia. Em caso de empate com outre concorrente que não esteja nas mesmas condições, é escolhida a obra do outre concorrente.
  4. Concorrentes menores de idade podem concorrer desde que autorizadas pelu responsável legal. A autorização deverá ser remetida em conjunto com a submissão e responsável legal estar claramente identificado (nome, morada, idade, endereço electrónico, contacto telefónico).
  5. Os textos submetidos deverão ter de 1.000 (mil) a 10.000 (dez mil) palavras.
  6. Cada concorrente poderá submeter apenas um manuscrito.
  7. Todos os textos submetidos deverão estar inseridos no género do Solarpunk: movimento literário que aborda, numa perspectiva optimista, o futuro à luz das preocupações ambientais que nos assolam na actualidade, através de tecnologia, métodos de comunidades baseadas na energia solar e na liberdade ou igualitarismo/anarquismo social. Este movimento costuma aspirar à estética da Art Nouveau misturada com referências africanas e asiáticas.
  8. O prazo-limite de entrega por via electrónica nos moldes abaixo indicados é as 23:59 do dia 31 de Dezembro de 2020, hora de Portugal Continental. Os textos enviados após essa data não serão considerados para efeito do concurso.
  9. Os textos devem ser enviados para submissoes@divergencia.pt com o assunto “Antologia Solarpunk”. Serão aceites textos em formato .doc ou .odt, contendo como no cabeçalho de cada página o título, o nome de concorrente e o sub-género em que se insere. O autor receberá uma mensagem de resposta acusando a boa recepção do texto no prazo máximo de 48 horas após o envio.
  10. O manuscrito deverá ser formatado em Times New Roman, justificado (alinhado à esquerda e direita) com o tamanho de 11pt e um espaçamento de 1,5 linhas.
  11. O autor deve apresentar os seus dados identificativos (nome, idade, endereço electrónico, contacto telefónico e morada) e o título da respectiva obra no corpo do e-mail remetido e enviar um ficheiro digital da obra, anexo ao mesmo e-mail, em que a primeira página é composta pelo título da obra e a sinopse com o máximo de 200 (duzentas) palavras, reservando as demais páginas à obras propriamente dita.
  12. O resultado será tornado público até 31 de Março de 2021 através do sítio da Editora. Quem vencer será contactade previamente via correio electrónico.
  13. Os contos escolhidos serão publicados na antologia “Solarpunk” da Editorial Divergência.
  14. Os critérios para a selecção de quem vence serão parametrizados em termos da envolvência da trama, credibilidade e coerência das personagens e mundos criados, originalidade e fluidez narrativa.
  15. A composição de júri terá três elementos reconhecidos pela experiência no género, um dos quais pertencente à Editorial Divergência, a quem será vedada a identificação de quem ganhar, até ao dia da revelação dos resultados.
  16. Não há recurso à decisão de júri.
  17. A Editora reserva-se no direito de propor a quem ganhe alterações às obras seleccionadas caso entenda que venham melhor adequá-la à futura publicação. Estas sugestões poderão ser alvo de contra-proposta por sua parte. Caso não se chegue a bom entendimento de ambas as partes, a Editora reserva-se no direito de remover o conto da antologia.
  18. A Editorial Divergência reserva-se à não atribuição do prémio por falta de qualidade dos manuscritos.
  19. Os direitos de autoria são de 15% (quinze por cento) do preço de capa da obra em papel e 25% (vinte e cinco por cento) no caso dos livros em formato electrónico, direitos esses que serão divididos de igual modo a quem ganhe. Quem ganhe poderá ser pago através da oferta de exemplares ou de transferência bancária. O modo de pagamento é escolhido em cada pagamento por cada participante da antologia. A Editora retém o direito de publicação do manuscrito por um prazo de dois anos a contar da data de publicação.
  20. Qualquer situação omissa ou de interpretação dúbia neste regulamento deverá ser apresentada à Editora, sendo decidida pela administração da Editorial Divergência e comunicada no sítio.
  21. A apresentação da obra a concurso implica, por parte de quem vença, que compreende e aceita todas as alíneas estipuladas no presente regulamento bem como as explicações fornecidas pela Editora de acordo com a alínea 20.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.