Fantasia Urbana – Os Medos da Cidade

Na noite citadina, também há mistérios e monstros. Que segredos guardam as cidades Portuguesas? O que guarda o anjo que habita o Castelo de São Jorge? Por quem espera a sereia no Jardim da Sereia? Que bruxarias acontecem nas escadarias da Nossa Senhora dos Remédios? Como escapar à maldição da Moura Encantada que assombra os corredores do Palácio Fialho? Quem conhece a história do barqueiro fantasma que percorre a ria no seu moliceiro nas noites de lua cheia? Quais são os terríveis poderes do vampiro que está aprisionado há quatro séculos nas catacumbas da Cadeia da Relação? Porque é que o lobisomem visita o Jardim do Paço no solstício?

A Fantasia Urbana é um subgénero da fantasia contemporânea que inclui seres sobrenaturais e/ou mágicos (anjos, demónios, vampiros, feiticeiros, bruxas, lobisomens, entre outros).  Ao contrário da fantasia tradicional, que nos apresenta mundos imaginários, a fantasia urbana ocorre num local urbano e contemporâneo. Desta forma, a cidade onde decorre a acção é uma parte importante da narrativa, pelo que deverá estar bem caracterizada.

As histórias de fantasia urbana apresentam geralmente bastante suspense ou acção, misturando-se um pouco com o policial/mistério.

As cidades portuguesas são ricas em tradição, lendas e folclore, pelo que estes temas poderão ser um ponto de partida para o desenvolvimento da narrativa.

Com o objetivo de promover a fantasia urbana em Portugal e incentivar a produção de obras originais de escritores portugueses, a Editorial Divergência apresenta a nova Antologia de Fantasia Urbana.

Regulamento

1) Podem concorrer autores residentes em Portugal Continental e Regiões Autónomas, independentemente da nacionalidade.

2) Autores menores de idade, com idade igual ou superior a 16 anos, podem concorrer desde que autorizados pelo responsável legal. A autorização deverá ser remetida em conjunto com a submissão e o responsável legal estar claramente identificado (nome, morada, idade, endereço electrónico, contacto telefónico).

3) Apenas podem concorrer textos inéditos, em língua portuguesa, respeitando o Acordo Ortográfico de 1945 e submetidos pelos próprios autores. Por inédito entendem-se textos que não tenham sido anteriormente publicados de forma profissional por terceiros, como um todo ou em parte, em formato físico ou electrónico. Textos anteriormente publicados em formato amador ou de auto-publicação podem ser aceites mediante análise individual.

4) Todos os textos deverão estar inseridos no género de fantasia urbana, tendo como cenário de fundo uma cidade portuguesa.

5) Cada autor poderá submeter apenas uma obra.

6) O limite de palavras será entre as 3000 e as 10 000 palavras.

7) A data limite de entrega é as 23:59 do 31 de Maio de 2019, hora de Portugal Continental. As obras concorrentes deverão ser entregues por e-mail para submissoes@divergencia.pt, com o assunto Antologia de Fantasia Urbana. Os textos enviados após essa data não serão considerados para efeito do concurso.

8) Serão aceites textos em formato .doc. O texto deverá estar em tamanho 12, com o tipo de letra Times New Roman e espaçamento entre linhas 1.5. Na primeira página do documento, deverão constar as seguintes informações: nome do autor, morada, e-mail e contacto telefónico. Todos os trabalhos receberão um e-mail de recepção do envio.

9) Na primeira página de cada submissão deverá constar o título do texto, o nome do autor, idade, endereço electrónico, contacto telefónico e morada. A segunda página deve conter uma sinopse de obra com o máximo de 200 palavras.

10) O resultado será tornado público até 31 de Julho de 2019 através do blogue da editora. Os autores selecionados serão contactados previamente via e-mail.

11) O júri será composto por membros da Editorial Divergência.

12) O número de autores selecionados será decidido pelo júri.

13) Os critérios para a selecção do vencedor serão parametrizados em termos da envolvência da trama, credibilidade e coerência das personagens, originalidade e fluidez narrativa.

14) Os textos vencedores serão publicados pela Editorial Divergência, em formato papel. Poderão ainda, se a Editora considerar oportuno, ser publicados em formato electrónico.

15) A Editora reserva-se no direito de propor ao autor alterações à obra premiada caso entenda que venham melhor adequá-la à futura publicação. Estas sugestões poderão ser alvo de contra-proposta por parte do autor. Caso não se chegue a bom entendimento de ambas as partes, a Editora reserva-se no direito de dar por anulado o prémio.

16) Sempre que solicitado pela Editora, o autor vencedor deverá colaborar a participar activamente em actividades, eventos e campanhas a realizar com o objectivo de promoção, divulgação e comercialização da obra vencedora, devendo também fornecer fotografias, nota biográfica, bibliografia e outros elementos necessários à divulgação da obra.

17) A Editorial Divergência reserva-se no direito da não atribuição do prémio por falta de qualidade dos textos.

18) Os direitos de autor são de 10% do preço de capa da obra em papel e 25% no caso dos livros em formato electrónico. Poderão ser pagos através da oferta de exemplares ou de transferência bancária. O modo de pagamento é escolhido pelo autor. A editora retém o direito de publicação dos textos por um prazo de dois anos a contar da data de publicação.

19) Não haverá recurso à decisão do júri.

20) Qualquer situação omissa ou dúvida de interpretação neste regulamento será decidida pela administração da Editorial Divergência.

21) Ao submeter o texto, o autor aceita todas as alíneas estipuladas no presente regulamento, bem como as explicações fornecidas pela Editora de acordo com a alínea 20.

A equipa da Editorial Divergência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.