Contacto 2019 – Balanço

A edição deste ano do Festival Contacto (Festival Literário de Fantasia e Ficção Científica), organizado pela Imaginauta,  decorreu na Biblioteca de Marvila, nos dias 5 e 6 de Abril. Com um programa cuidado e denso, contemplou horas do conto, palestras sobre literatura, filosofia e tecnologia, cinema, podcasts literários, jogos de tabuleiro e narrativos, exposições de ilustração e fotografia, zonas temáticas dos universos mais conhecidos da fantasia e da ficção científica, feira do livro e muitos lançamentos de livros e obras de BD. Conscientemente vocacionado para as escolas e famílias, contou com actividades para quase todas as faixas etárias.

Durante o festival, Rui Bastos conduziu o lançamento de A Batalha da Escuridão, de Bruno Martins Soares, a versão portuguesa, num volume único, da trilogia The Dark Sea War Chronicles. Num distante sistema solar, estalou a guerra entre a União de Webbur, o Reino de Torrance, e o seu rival, a República de Axx. Byllard Iddo é um jovem que partiu para se juntar à Marinha Espacial e fez-se tenente na poderosa Marinha de Webbur, onde servirá em diversas naves e ante o perigo, à medida que a guerra cresce em violência.  Interessado na história da Segunda Guerra Mundial desde novo, Bruno Martins Soares escreve a história do impacto social e tecnológico de um evento de tamanha dimensão, passando-o para um cenário espacial. O Atlântico passa a ser uma vasta extensão vazia de espaço e nela se desenrola toda a tragédia e mudança decorrentes de uma guerra entre civilizações.

O livro Winepunk –  Ano 1 – A Guerra das Pipas também teve uma apresentação durante o Contacto 2019, graciosamente moderada pala Cristina Alves, do blogue “Rascunhos”, com a participação de Rogério Ribeiro, representando a Invicta Imaginária, Pedro Cipriano em representação da Editorial Divergência e os autores João Ventura e João Barreiros. Em 1919 foi fundada a Monarquia do Norte (facto real e verídico) no meio das convulsões republicanas portuguesas. Neste universo, ela não durou semana mas sim três anos. O desafio  apresentado aos diversos autores consistiu em criar histórias que se encaixassem nesta premissa de história alternativa, em que as vantagens tecnológicas da Monarquia se baseariam sempre nas vinhas e nos vinhos do Douro. As magníficas ilustrações de Rui Alex e o cuidadoso tratamento gráfico e paginação de Sandra Maria Teixeira transformaram o resultado final num volume esteticamente ímpar.

Comments are closed.